Arquivo da categoria: apple

IPad com Magic Mouse

Com jailbreak (claro), é possível usar o Bluetooth para conectar mouse (e teclado) ao iPad. O Redmond Pie explica:

Outro dia eu testei o aplicativo BTstack Mouse no meu iPad com jailbreak e fiquei bem impressionado com o resultado. Ele não apenas funcionou com o Apple Magic Mouse, mas com quase todos os outros mice Bluetooth que eu tinha. Para quem não sabe, o BTstack Mouse é um utilitário gratuito que foi lançado antes neste ano para iPhones e iPods Touch com jailbreak.

O link tem mais informações e instruções. É simples. [Redmond Pie]


Vendas de netbooks crescem menos em 2010: efeito iPad, já?

As vendas de netbooks seguem crescendo nos EUA, mas vem desacelerando desde janeiro, quando o iPad foi anunciado — e tem gente culpando mesmo o tablet da Apple por isso. Bem, o banco Morgan Stanley divulgou um relatório esclarecedor, que mostra que as vítimas do iPad são os netbooks, e os leitores de e-book, e os iPods… enfim, tudo. Acho que o iPad deixou todo mundo ansioso.

Ansioso pra comprar outras coisas, quero dizer. O gráfico é baseado em uma pesquisa com consumidores que estavam planejando comprar o iPad, e foi feita em março. A pergunta: o que você compraria, se não fosse um iPad? Em outras palavras, o que o iPad impediu você de comprar?

Ainda estamos para ver se as vendas dos dispositivos são mesmo afetadas pelo tablet da Apple, o que poderia demorar algum tempo, ou simplesmente poderia ser impossível de medir: a maioria dos dispositivos acima, como notebooks ou iPods, são vendidos em volumes enormes — muitas vezes maior do que o iPad deve chegar no futuro próximo.

Mas se o iPad continuar mesmo vendendo bastante, e tablets concorrentes fizerem o mesmo, as categorias que mais poderiam sofrer são interessantes: além de netbooks, o iPod Touch corre perigo, assim como os PSPs e DSs da vida. Os leitores de e-book já estão sob ameaça, mas eles nunca foram um grande sucesso, mesmo. [Fortune]

fonte: gizmodo


Será o novo iphone??

O novo protótipo do iPhone foi “achado” em um bar em Redwood City, Califórnia, e estava disfarçado em um case que o deixava idêntico ao iPhone 3GS. O Gizmodoconseguiu colocar as mãos no aparelho, que me surpreendeu por ser muito diferente de todas as versões do iPhone lançadas até hoje, com uma lateral de alumínio e a parte de trás em vidro ou plástico.

O Gizmodo não perdeu tempo, e publicou um post com várias fotos e informações sobre o suposto “iPhone 4G”. Para começar, o novo iPhone tem a tão esperada câmera frontal para chamadas em vídeo. A câmera traseira tem flash e uma lente maior. Assim como o iPad, este protótipo do iPhone 4G usa um microSIM, ao invés de um chip SIM de tamanho normal.

A tela seria um pouco menor, mas teria uma resolução bem maior do que a do iPhone 3GS. Os botões de volume seriam divididos e também seriam usados para o controle da câmera. A bateria é 16% maior do que a do iPhone 3GS. Uma coisa que não me convenceu neste novo layout é a traseira ser plana, sem aquela inclinação do iPad, mas isto é algo que pode ser mudado com facilidade na versão final. Segundo o Giz, isto acontece pois ele não tem espaço de sobra para firulas. É, até que faz sentido.

Agora só nos resta esperar até a WWDC para conferir se o novo iPhone 4G será realmente assim ou não.

fonte: Gizmodo USGizmodo Brasil.

Qual o tamanho da Apple no Brasil?

A Apple é um empresa que gera admiração (e ódio) como nenhuma outra. Aqui no Giz falamos um bocado sobre seus produtos, mas sabemos que eles não são para todo mundo muito em parte por causa do preço aqui no Brasil. A empresa de Cupertino nunca revelou números sobre o tamanho da sua operação no País, mas já disse que somos um “mercado complicado” por causa dos impostos. A Folha de hoje fez uma reportagem interessante em que junta estimativas de especialistas e parceiros para descobrir a fatia da maçã no mercado brasileiro de computação. Não se sabe o tamanho exatamente hoje. Mas parceiros dizem que a empresa tem 2% do mercado de computadores brasileiros, o que dá 50 mil máquinas vendidas por ano.

Mesmo sendo uma participação pequena, em números absolutos, os especialistas ouvidos pela reportagem são bem otimistas. As vendas de notebooks e desktops estariam crescendo a pelo menos 20% ao ano. A expectativa é que o crescimento continue.

Num primeiro momento, a meta é aumentar a participação da Apple entre os consumidores das classes A e B ao trocar suas máquinas que rodam com o sistema Windows pelas da Apple. “Com o parcelamento, já estamos vendendo até para a classe C”, diz Sé. Os parceiros da Apple estimam que com 3% de mercado já seria possível nivelar os preços com os da concorrência. “É uma questão de escala”, diz Grings, da iPlace.

Ou seja: quer que o Macbook que você namora fique barato? Compre um. Faz sentido? Sim.

A verdade é que a “taxa Apple”, que comentamos há um ano, vem caindo a olhos vistos. Os Macbooks estão longe de serem considerados baratos, mas a diferença de preço em relação ao mesmo produto no exterior já é menor que marcas concorrentes. Comparamos com os da Sony, que cobra no Brasil em média o triplo do valor de seus produtos nos Estados Unidos. Mas certamente não é só a japonesa, que tem a fama de careira. Pegue um Dell bem configurado nos EUA e compare com a versão brasileira: ele é pelo menos o dobro do preço do valor convertido.  Já um Macbook padrão é achável a R$ 2.600 aqui, custando US$ 999 nos EUA. Caro, mas levemente mais razoável.

Mesmo assim, vocês acham que a Apple crescerá muito no mercado de computadores pessoais no Brasil? Eu tenho impressão que o foco dela é outro. iPhones, iPads e iPods custam menos e já conquistaram o imaginário brasileiro. É aqui que ela deveria focar seus esforços. Vai que a marca decola no Brasil e ganhamos uma loja bonita no Rio.
fonte: gizmodo

Entendendo o design industrial do iPad

Leia o resto deste post

iPhone terá multitarefa

Leia o resto deste post

iPad e os problemas com o super aquecimento e WiFi

Que mais há-de acontecer ao iPad?

Parece que o iPad está mesmo em maré de azar. Passados poucos dias do lançamento do equipamento, existem já muitos utilizadores descontentes e muitas reclamações a caminho da Apple.

ipad

//

A primeira desilusão deveu-se ao facto do iPad ser apenas carregado em portas USB de alta potência (existente em alguns Macs actuais e não presente na maioria dos PCs), ou simplesmente via tomada eléctrica, conforme informamos aqui.

Depois surgiu a notícia sobre o super aquecimento reportado por alguns utilizadores.

Ontem começaram a surgir alguns relatos sobre as dificuldades no acesso a redes sem fios com o iPad. Como prova disso, podemos verificar a quantidade de pedidos de ajuda por parte dos utilizadores no fórum da Apple (ver aqui).

Segundo alguns utilizadores, o sinal é instável e sofre frequentes quebras em locais onde outros equipamentos , incluindo equipamentos da Apple, funcionam na perfeição. Outros utilizadores referem que apenas têm bom sinal se estiverem bastante próximos do router wifi. No entanto, a reclamação mais frequente pretende-se com o facto do equipamento não conseguir aceder à rede, depois de ser colocado em stand-by e posteriormente voltar a tentar a ligação (estado zombie). Ao que parece, este problema acontece inclusive na presença de routers da marca Apple.

Como resposta ao “bug” do wifi, a Apple apresentou um artigo com possíveis soluções (ver aqui).  Com vista a ajudar os utilizadores, um funcionário da Apple colocou também no forum uma lista de links com o objectivo de ajudar os utilizadores a ultrapassarem alguns problemas (ver aqui).

fonte: pplware

%d blogueiros gostam disto: