Arquivos do Blog

O grande segredo do novo MacBook Air está no armazenamento?

Um detalhe intrigante sobre o possível novo MacBook Air de 11,6 polegadas surgiu no AppleInsider: ele não usará um HD comum, nem um SSD. Usará algo novo.

Em vez disso, diz a fonte da AppleInsider, o notebook/netbook usará “algo descrito como um ‘Cartão SSD’”, algo mais parecido com um pente de memória do que com um HD, uma alternativa proprietária ao SSD criada pela própria Apple. É quase um SSD sem toda a carcaça pesada de um HD (já que os SSDs são basicamente vários chips de memória enfiados num case de HD), mas integrado, liberando mais espaço dentro do notebook.

Faz bastante sentido eliminar o peso e o tamanho de um HD, principalmente numa máquina que deverá ter 11,6 polegadas (e provavelmente será mais leve que o Air original). Como quando a Apple eliminou as baterias removíveis no MacBook Pro. E usar memória flash também deixaria o Air extremamente rápido para ligar, ficando mais perto de um iPad do que qualquer outra coisa. E, caso se confirme, eu acredito que deveremos ver essa tecnologia em outros Macs no futuro.

O novo MacBook Air pode ser uma nova maquininha bem interessante, mesmo que ela não esteja pronta para a tecnologia de multitoque do OS 10.7. [AppleInsider]

 

Os melhores SSDs por até US$ 150

O preço alto sempre foi um grande obstáculo para a adoção de qualquer tecnologia, e com os SSDs não tem sido diferente.

Eles já evoluíram bastante desde a primeira geração, que sofria de lentidões severas, mas os drives de estado sólido ainda estão longe de substituir as formas mais tradicionais de armazenamento. Isso é facilmente explicado pela diferença de custo por gigabyte.

Recentemente tem havido uma demanda grande por drives que sacrificam espaço por velocidade e que tenham preços mais em conta, e os fabricantes têm corrido para providenciar isso. A opção mais barata do nosso teste anterior, há mais de um ano, veio da OCZ. O OCZ Agility de 120GB custava US$ 270, quase o dobro do limite de US$ 150 que impomos para este artigo.

Mesmo com esta limitação de preço, desta vez conseguimos incluir mais de meia dúzia de opções, de controladores como JMicron, Intel, Toshiba, SandForce e Indilinx. Apesar de haver uma boa diversidade nos controladores usados por estes SSDs acessíveis, em uma coisa eles se parecem: uma capacidade de armazenamento mais limitada.

Leia o resto deste post

No futuro, drives SSD de mil gigabytes terão o tamanho de um selo

Qualquer um que conheça a Lei de Moore sabe que, ao longo do tempo, o armazenamento ficou — e vai ficar — maior e mais barato. Mas a possibilidade de um drive SSD de 1TB do tamanho de um selo? Parece impossível, mas não para estes espertos cientistas japoneses.

Um grupo de pesquisadores de várias universidades e organizações japonesas se uniram para trabalhar e fazer o tamanho dos SSDs despencar, e a eficiência decolar — e eles esperam produzi-los o suficiente para serem vendidos em 2012. Eles já criaram um protótipo feito de 128 chips de memória flash NAND e um chip de controle ( imagem acima), e ele pode transferir dados a 2GB por segundo. Sério, eu sonho com esse tipo de coisa. Um SSD que cabe no meu bolso? Demais. [Nikkei via CrunchGear]

fonte: gizmodo

%d blogueiros gostam disto: